CLICK HERE FOR FREE BLOGGER TEMPLATES, LINK BUTTONS AND MORE! »

Educação Infantil e Cristã



Ei, psiu...

                             

Participe do Blog Com a Gente

segunda-feira, 13 de julho de 2015

4 Princípios Fundamentais para Líderes do Ministério infantil

Paixão, Atitude, Trabalho em Equipe e Honra

Paixão
“...qualquer coisa que eu faça, farei bem porque a faço para o Senhor, não para a aprovação dos outros.” (Col. 3:23)

A paixão produz Direção, Possibilidades e Mudança de vida
a. Direção - entusiasmo que nos impulsiona adiante, energia suficiente para cruzar a linha de chegada da realização.

b. Possibilidades – o apaixonado faz coisas de maneira diferente: supera as dificuldades buscando soluções criativas juntamente com a equipe; percebe o fracasso como um degrau para o sucesso, refaz constantemente seus alvos e os alcança por meio de perseverança; aceita desafios que a impulsiona para os limites da perseverança, compreende que “se não houver dor, não há valor”; aceita a disciplina de Deus como uma preciosa demonstração do Seu amor.

As duas maiores paixões de um líder do MC devem ser:
1.      Ver uma criança aceitar a Jesus e vê-la crescer em maturidade espiritual
2.      Liderar, encorajar e inspirar os professores.
c. Mudança de vida – a mudança de atitude produz compromisso.

Características de uma pessoa apaixonada:
·         Alegria e vigor – contagiam o ambiente. É ficar contente por fazer diferença no Reino, porque o que fazemos durará para sempre. “Quando você está bem próximo de Cristo, as coisas de Seu reino farão com que a paixão jorre em sua alma”.
·         Entusiasmo e expectativa – “ao ministrarmos para as crianças e para a nossa família, precisamos ser as pessoas mais entusiasmadas do mundo, porque estamos vivendo dentro do laço do amor, da graça e do poder de Deus”.
·         Resultados excepcionais – os resultados espirituais florescem em razão de sua paixão pelo ministério. As crianças se lembrarão de você como alguém cheio de paixão que as amava, as valorizava e as honrava. As crianças podem se esquecer das lições que você ensinou, mas se lembrarão de quem é você.

Venenos mortais contra a paixão:
·         Rotina – monotonia e falta de criatividade.
·         Frieza – gastar a maior parte do nosso tempo com pessoas apáticas.
·         Incerteza – precisamos estar fixos em um foco. Só começamos a progredir quando falamos sobre passos, planos específicos e horários específicos.
·         Vaguear – sem objetivos, você não tem em que se concentrar. Quando investimos essa paixão em objetivos específicos e trabalhamos neles com todas as nossas forças, uma dádiva de Deus, então se torna muito difícil desistirmos de nosso ministério.
·         Dureza – se você é líder, com certeza alguém não gostará de você. Portanto, não se preocupe com que os outros pensam a seu respeito. Algumas pessoas são como vitral: ou são apenas um vidro ou alguém que reflete a luz.

Três remédios edificantes:
1.      Associação contagiosa – aproxime-se de pessoas cheias de paixão;
2.      Orações sinceras – orar por paixão. Tiago 5:16 “A oração de um justo é poderosa e eficaz.”
3.      Lembretes diários de seus momentos decisivos – com esses lembretes ao nosso redor, podemos constantemente lembrar: “É por isso que estamos aqui” - grandes coisas fez o Senhor por nós. Esses lembretes marcam momentos que nos impulsionaram adiante!

Atitude
Nossa atitude determina nossa altitude. A atitude que você usa é a atitude que você escolhe e ela depende da sua capacidade de distinguir entre a resposta e a reação.

O que causa minha atitude a escorregar:
        Turbulência – nossa autoestima pode atravessar uma tempestade, devido a um corte brusco na igreja ou por um sentimento de baixa autoestima. Como você se vê? E como Deus a vê? Se nós esquecemos de manter os olhos em nosso valor, nosso preço eterno, como Deus o vê, nossas atitudes terão tendência para apontar o “nariz para baixo”.
        Paralisia – pessoas que não se veem como vencedoras são, com frequência, obcecadas por perder.
        Estressando-se – você pode estar usando energia demais. Sua atitude e desempenho podem realmente melhorar, se você reduzir sua velocidade. É preciso ter tempo para renovar-se e deleitar-se, ou seja, rejuvenescer.
        Voltas, voltas e voltas – as expectativas de vida menores, são as pequenas destruidoras de atitudes. Os líderes eficazes enfrentam dificuldade, desencorajamento e desapontamento. Tiago 1:2-4. Precisamos manter uma clara perspectiva de vida, uma clara perspectiva de nossas expectativas. Muitas vezes é preciso trocá-las, para abrir espaço necessário, para que as boas atitudes floresçam.

O que fazer quando sentir que sua atitude está para vacilar:

1. Olhe para cima – mantenha-se focado no que Deus está fazendo no Reino. (Col. 3: 2,3);
2. Desacelere: todos fazemos escolhas mais acertadas quando paramos por um momento; Alcance pessoas – que o seu foco seja ajudar os outros a alcançar o potencial que têm. A vida das crianças e dos membros de sua equipe serão renovadas, e as pessoas se sentirão encorajadas, simplesmente pelo fato de estar em contato com você.

A ATITUDE “INTERPRETA” SEU MUNDO.
Hoje, posso reclamar porque o tempo está chuvoso, ou posso agradecer porque a grama está sendo regada para mim.
Hoje, posso chorar porque as rosas têm espinhos, ou posso comemorar porque os espinhos têm rosas.
Hoje, posso lamentar a falta que sinto de meus amigos, ou posso embarcar alegremente em uma jornada para descobrir novos relacionamentos.
Hoje, posso murmurar porque tenho de ir para a escola, ou posso abrir minha mente e alimentá-la com novas e ricas gotas de conhecimento.
Hoje, posso ficar chateado porque tenho de limpar a casa, ou posso me sentir honrado porque o Senhor providenciou um abrigo para mim.
Tudo pode ser tirado de um homem, menos uma coisa – o direito de escolher sua atitude em qualquer circunstância; a escolha do seu próprio caminho.


Trabalho em Equipe
As equipes têm um potencial criativo maior do que os indivíduos. “Todos nós juntos somos mais inteligentes do que apenas um de nós”.

Características de uma equipe dinâmica:

        Cooperação – isso requer saber e apreciar histórias uns dos outros, manter contato físico, atitudes de dar e receber, para que a unidade se transforme na poderosa realidade de nossos relacionamentos práticos de trabalho. (Ler João 17:21)
        Flexibilidade – mudar para atender às necessidades. Flexibilidade para dar conta da demanda que lhe é requerida.
        Compromisso – os propósitos de evangelismo, comunhão, discipulado, serviço e adoração. Programas que ajudarão as crianças a crescer em profundidade, na caminhada espiritual.
        Lealdade - uma equipe pode fracassar porque algo discutido entre o grupo vazou para outras partes interessadas: a famosa fofoca. É muito difícil vencer a quebra de confiança entre os membros de uma equipe.
        Encorajamento - pessoas florescem sob o incentivo e murcham sob a crítica. Todas as vezes que apreciar algo em alguém ao seu lado, você está elevando seu valor, honrando essa pessoa, edificando a equipe e construindo o Reino. Ler I Tess. 5:11

Como cuidar das necessidades de manutenção de sua equipe:

  Deixe constantemente as expectativas bem claras – cada membro da equipe precisa sentir-se pertencente ao grupo e saber que seu papel é vital.
  Proporcione informações e treinamentos para habilidades de uma equipe.
  Abra espaço para compartilhar – não se preocupar apenas em desempenhar as tarefas, mas uns com os outros.
  Sempre dê ênfase à presença de Deus – iniciar cada encontro com uma oração. Desenvolver projetos de oração intercessora durante os encontros.

Honra

Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. Romanos 12:10 (Bíblia Online – Almeida Corrigida e Revisada Fiel). O valor que atribuímos às pessoas faz toda a diferença em como as tratamos e como somos tratados por elas. A honra determina o sucesso do nosso ministério. Valorize as pessoas através de cartões de aniversário, agradecimentos, telefonemas, visitas, etc. Nossa própria imagem influencia significativamente nossa “imagem” das pessoas. Quando vemos outros da maneira como Deus os vê, passamos a tratá-los como Deus os trata também. Servir em uma atmosfera de respeito mútuo e encorajamento torna o ministério gostoso e digno de todo esforço.


JUTILA, Craig. 4 Princípios Fundamentais para Líderes de Ministério Infantil. São Paulo: Editora Vida, 2004.

terça-feira, 7 de julho de 2015

3 Palavrinhas - Vídeos

Deus criou os peixes


Assim vou louvar


O sabão


Quem fez


Missionariozinho


Três palavrinhas


Alô


Meu barco

Toc, toc, toc


Florzinha e Soldadinho de Jesus


Deus é bom pra mim


É bom. É muito bom


A Deus dai louvor

Deus lhe tem amor

Leia a Bíblia


Pare

Rotina de Aula Para Escola Bíblica Infantil

Olá queridos(as), 
tudo bem com vocês?!
Graças ao chamado de Deus e a oportunidade que Ele tem me concedido, tenho aprendido muito sobre Escola Bíblica para crianças e Ministério Infantil. Ainda sou nova nesse assunto e quero aprender muito mais, não somente para mim mesma, mas também para poder ensinar a tantas outras pessoas que o Senhor tem chamado para fazer parte desse que é o Ministério mais fofo e cute da igreja do Senhor: o Ministério com Crianças. Foi muito linda e um tanto quanto curiosa a forma como o Senhor me chamou para trabalhar com os pequeninos. Você poderá ler em breve a minha história-testemunho que postarei aqui no Blog. Mas enquanto a postagem não fica pronta, vamos a algumas dicas importantes de como ministrar uma aula bíblica e de qualidade para crianças. O que vou falar aqui, tem muito a ver com meus próprios aprendizados e experiências e eu espero muito poder ajudar vocês de alguma forma.  

Prepare-se a Si Mesmo(a)
Aula Bíblica para crianças é coisa séria! Então nada de fazer de qualquer jeito. É necessário preparação espiritual para esta tarefa. Logicamente que, como professor(a), você planejará sua aula, o material que será usado etc, mas lembre-se: você estará travando uma guerra contra as forças espirituais da maldade. Estamos lidando com seres humanos. Estamos ministrando a Palavra e plantando a semente nos corações. Isso não pode ser levado na brincadeira. O diabo não brinca de ser diabo! Então, para que você esteja revestido com a armadura de Deus (leia Efésios 6: 10-20) e totalmente preparado(a) para a batalha, você precisa:
  • Estudar a lição na revista e na Bíblia - Aqui, aconselho você a convidar o Espírito Santo a se fazer presente durante o estudo. Nem sempre entendemos tudo que está na Palavra e nada melhor do que a presença do Autor para nos ajudar. Lembre-se: Ele é o que ensina todas as coisas (João 14:26).
  • Orar - Ore por sua vida, pela vida de seus alunos que receberão a Palavra, pela aula, pelo método de ensino; não esqueça de pedir a direção do Espírito em tudo que for fazer.
  • Consagrar-se - Separe um tempo para consagrar-se a Deus; peça-O que use sua vida para que Ele transmita Sua Palavra às crianças da forma como elas entenderão. Se afaste de coisas que podem prejudicar esse momento.
  • Jejuar - Você pode jejuar se achar que é necessário. Em alguns casos, o próprio Espírito vai te direcionar a fazer um jejum. Você só precisa estar a tento à voz Dele e obedecer!
Prepare Sua Aula
Claro que para dar qualquer tipo de aula é necessário tempo para o planejamento e isso não pode ocorrer de um dia para o outro. Separe uma ou duas horas diárias (dependendo do seu tempo) para planejar a aula, estudar a lição, preparar o material que será usado. Se você trabalha o dia inteiro, tente seguir o planejamento abaixo, utilizando apenas uma hora do seu dia:
  • Segunda - planejar toda a aula
  • Terça - estudar a lição
  • Quarta - preparar o material
  • Quinta - orar pela aula
  • Sexta - revisar a lição
Organize a sala
Professor(a) zeloso(a) é aquele(a) que chega antes da aula para preparar o ambiente que receberá as crianças. Sala limpa e materiais organizados fazem parte de um ambiente acolhedor.

Receba as Crianças na Porta
Li em um certo texto que é importante receber as crianças na porta, saudando-as com a paz do Senhor e falando individualmente com cada uma chamando-lhe pelo seu nome. Bem, isso é realmente interessante. Mas é quase impossível você saber o nome de todo mundo no primeiro dia de uma nova turma, por exemplo. A menos que já conheça a criança fora da igreja! Sugiro a você, trabalhar com crachás nos primeiros dias se a turma for muito numerosa e dificultar a memorização dos nomes.

Converse Com as Crianças
Inicie um breve diálogo com seus alunos perguntando como estão, como foi a semana e, deixe que respondam. Fazendo isso você estará mostrando interesse sincero pelas suas crianças!

Oração Inicial
A oração inicial deve ser feita de acordo com a faixa etária de seus alunos.

  • Crianças Menores - Ore para que eles repitam a oração; use frases curtas, para que as crianças não se percam em longas frases.
  • Crianças Maiores - Incentive-os a fazer a oração. Geralmente são muito tímidos e têm medo de orar, errar e serem motivo de risada entre os colegas. Você professor(a) é o grande incentivador da classe, cabe a você conversar com os "tímidos" para que eles possam se sentir confiantes.
Momento de Louvor
Depois da oração, faça um momento de louvor, também levando em consideração a idade de seus alunos. Para crianças pequenas, cante musiquinhas que tenham movimento, gestos etc, sempre interagindo com eles. Para os maiores, louvores conhecidos que possam levá-los a um momento de adoração.

Memorização de Versículos
É importante você ter um versículo principal para as crianças memorizarem, claro que, levando em consideração a idade deles. As revistas de EBD geralmente trazem o versículo pronto para memorizar de acordo com a faixa etária.  

Recolhimento de Ofertas
Depois do louvor, faça o momento da oferta. É bom explicar sempre o objetivo desse momento a todas as crianças, principalmente aos maiores que já entendem mais. Convide uma das crianças para fazer o recolhimento das ofertas e não esqueça de agradecer.

História Bíblica
O próximo passo, é contar a história bíblica.

  • Com as crianças pequenas é necessário um aparato maior para este momento. Você precisa prender a atenção de sua criança pequena para que ela esteja atenta ao que vai ser ensinado; e para isso, use material concreto: visuais da lição, figuras, desenho, objetos importantes da lição (coroa, Bíblia, água etc). Tente fazer um suspense, use expressões faciais, movimente suas mãos, seu corpo, claro, não precisa exagerar. Lembre-se que você é um(a) professor(a), não um palhaço!
  • Para os maiores dê prioridade à leitura da Bíblia. Leia com eles, deixe-os ler sozinhos. Isso exercita a leitura da Bíblia e ajuda a deixá-los mais confiantes, fazendo com que percam a timidez.
Atividade Sobre a História Contada
Se você segue o currículo de determinadas editoras evangélicas, terá em mãos a revista do professor que vem com ótimas dicas para uma aula bíblica rica e dinâmica.
Se você não segue, precisará fazer sua própria atividade. 
Veja o que pode ser feito para cada idade:

  • Pequenos: colorir, colagem, tracejado, mural.
  • Grandes: Pesquisas bíblicas, caça-palavras, palavras-cruzadas, completar os versículos através de referências dadas etc.


Atividade/Brincadeira Dirigida
Esse é aquele momento que sobra. Você já fez tudo que planejou e ainda sobrou tempo. Continue com o foco de alimentar suas crianças, seja passando um filme bíblico ou até mesmo permitindo que eles interajam e conversem entre si; isso faz parte da comunhão!
Para os pequenos, os brinquedos podem fazer parte desse momento.

Momento Missionário
Este momento é importantíssimo para que você apresente aos seus alunos assuntos missionários, o que é Missões, quem pode fazer, onde se faz, orar por países onde os cristãos são perseguidos etc.
Não é uma regra a seguir. Mas é um assunto importante que pode ser estudado pelos maiores com mais riqueza de detalhes.

Oração final
Aqui, você professor poderá fazer a oração ou chamar uma criança maior para fazê-la. Incentive os pequenos a orar sozinhos também, dando oportunidade para que o façam.

Não necessariamente você fará TUUUUUUDO que descrevi aqui, mas algumas são indispensáveis como, oração, história, atividade, louvor, oferta!
Lembre-se sempre de estar na companhia do Espírito Santo, Ele vai te orientar a fazer o que é preciso ser feito!

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Bandeira do Estado do Ceará - Origem e Significado

O verde e o amarelo da bandeira cearense retratam as matas e as riquezas minerais. O farol, a jangada e a carnaúba simbolizam, respectivamente, Fortaleza, o cearense e o extrativismo vegetal.

História
A bandeira cearense foi criada pelo comerciante João Tibúrcio Albano, filho do Barão de Aratanha. Tibúrcio Albano acabou substituindo a esfera celestial da bandeira brasileira pelo brasão do estado. Em 25 de agosto de 1922, o presidente Justiniano de Serpa assinou o Decreto nº 1.971 instituindo o pavilhão cearense com um retângulo verde e o losango amarelo da bandeira nacional, tendo ao centro um círculo branco e no meio do círculo o escudo do Ceará.

Em 31 de agosto de 1967, o governador Plácido Aderaldo Castelo, auxiliado pelo historiador e Secretário da Cultura, Raimundo Girão, modificou o artigo instituindo que a bandeira seguiria as seguintes proporções: 14m de altura e 20m de largura; os vértices do losango estarão a 1,7m dos lados do retângulo; o raio do círculo corresponderá a 3,5m a distância da parte superior e da inferior das armas, em relação ao círculo corresponderá a 1m; e os flancos, também em relação ao círculo, 2m.

Brasão
Fonte: Governo do Estado do Ceará

A Formação do Caráter Cristão na Educação Infantil

Prof. Joany Bentes
Como educadores cristão, não podemos de forma alguma descurar da responsabilidade em preparar nossas crianças a viverem num mundo globalizado, cuja ênfase é a busca por mais conhecimento. Nossa missão, apesar de difícil, tem de ser integralmente cumprida, a fim de que nossos filhos destaquem-se como testemunhas de nosso Senhor Jesus.

Para chegarem à estatura de "varão perfeito" (Ef 4:13), os pequenos dependem da orientação correta, embasada na Bíblia Sagrada, pois é na infância que se dá a formação do caráter.

Então surge a pergunta: O que é caráter?
Existem centenas de definições para caráter, mas após muitas pesquisas podemos concluir que caráter é a capacidade de ação e reação mediante fatos, sejam estes bons ou maus. São traços da natureza humana que podem ser alterados e que se constituem a partir das relações familiares, ambientais, pedagógicas e sociais.

É imprescindível que pais e professores da EBD estejam cientes de seus papeis como educadores e influenciadores do caráter de seus filhos, para isso Salomão aconselha: "Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, quando envelhecer não se desviará dele" (Pv.22.6). 

Qualidades que contribuem para formação do caráter
Humildade - "Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz". (Filipenses 2:7;8).

Mansidão – "Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão para com todos os homens". (Tito 3:2).

Longanimidade – "O Senhor é longânimo e grande em misericórdia, que perdoa a iniquidade e a transgressão, ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta gerações". (Números 14.18).

Pode-se citar também os frutos do espírito, que, se observados, contribuíram na formação do caráter da criança.
Foi assim com o menino Jesus, ele "...crescia em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens" (Lc. 2 . 52). Desde o primeiro momento da vida, o ser humano começa a aprender. Quando a criança é pequena (dois a três anos) ela aprende a escolher entre o que é bom e que não é. Nessa idade se desenvolve a parte moral do caráter. Também aprende-se auto-controle, auto-segurança e desenvolve a coragem.

Atenção dobrada às crianças de 0 a 6 anos, período em que incide a educação infantil, o desenvolvimento emocional, cognitivo e o crescimento sensório-motor da criança estão em ampliação e os infantes carecem de uma atenção maior na sua orientação educativa.

É importante que professor e aluno tenham um bom relacionamento e para isso o professor precisa ter uma postura que compreenda.

a) Saber ouvir os membros do grupo;
b) Facilitar a integração do grupo;
c) Não ser intransigente ou repressor;
d) Estabelecer limites para o grupo;
e) Não marginalizar ou rejeitar alguém do grupo;
f) Agir de acordo com suas palavras;
g) Não usar o grupo para seus interesses pessoais;
h) Evitar descarregar os seus problemas no grupo;
i) Ser sincero com o grupo.

A eficácia do aprendizado depende do professor que deve conservar em mente as qualidades indispensáveis a um bom professor, sem as quais nem métodos criativos, recursos pedagógicos ou didáticos terão qualquer efeito, são eles:

a) Ter Cristo como Salvador e Senhor da sua vida;
b) Ter liderança;
c) Ter amor e interesse pelas crianças;
d) Ser organizado;
e) Cuidar de sua aparência pessoal;
f) Praticar o que ensina;
g) Pensar nos mínimos detalhes;
h) Não desanimar diante de opiniões de pessoas que fazem oposição ao seu trabalho.

Importante
O professor da EBD tem que tomar uma postura, frente as investidas do mundo através das mídias de comunicação, pois as nossas crianças são invadidas e violentadas diariamente com pornografia audiovisual, além de outros conteúdos que deturpam os valores morais que alicerçam a fé cristã. A formação do caráter cristão vai além das limitações humanas, está ligada à ação do Espírito Santo na vida das crianças, fato que só será possível se a criança for estimulada a confiar em Deus.

A fé das crianças e a Escola Bíblica Dominical
O professor da EBD, que trabalha com os pequenos, precisa estar ciente do seu compromisso e deve ter como objetivo principal "a fé das crianças" LEFEVER, M. (2003).
As crianças precisam aprender a falar com Deus, amar ao próximo, amar a Deus, e obedecer a sua palavra. Tais ensinamentos devem ser transmitidos na EBD.

Observe o desenvolvimento da fé das crianças por fases
I - A FÉ DO BEBÊ
Conceito-chave: Confiança
Relacionamentos significantes: Mãe e Pai.
Para uma criança desta faixa etária, somos as mãos e o rosto de Jesus.

II – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 1 A 3 ANOS
Conceito-chave: Autonomia
Relacionamentos significantes: Pais e professores da Escola Dominical.

Tais crianças:
• Aprendem através de encenações de histórias bíblicas.
• São capazes de aprender que Deus criou todas as coisas.
• Compreendem que a Bíblia é um livro maravilhoso, cheio de histórias especiais; é o Livro de Deus.
• Aprendem sobre Jesus enquanto se movimentam. Aprendizes tátil-cinestésicos.
• Aprendem a orar.

III – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 3 E 4 ANOS
Conceito-chave: Amor e Iniciativa
Relacionamentos significantes: Professores da Escola Dominical, pastor, família

Tais crianças:
• Gostam de frequentar "a própria igreja" (Escola Dominical).
• Aprendem a orar.
• Gostam de recontar histórias sobre Jesus.
• Aprendem a fazer mímicas de histórias bíblicas e de atitudes de Jesus.
• Interessam-se por Deus.
• Confundem Jesus e Deus.
• Desenvolvem uma consciência sensível.
• Perguntam sobre Jesus mais para interagirem com os professores do que para ouvirem respostas.
• Desenvolvem conhecimentos bíblicos.
• Permanecem aprendendo a respeito de Jesus enquanto se movimentam.
• Desenvolvem bons hábitos da vida cristã.
• Aceitam Jesus como Salvador pessoal.

IV – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 5 E 6 ANOS
Conceito-chave: Amor e Diligência
Relacionamentos significantes: Vizinhança, escola e igreja.

Tais crianças:
• Podem compreender o conceito de Deus como Criador.
• Costumam fazer perguntas.
• Temem a Deus porque Ele vê tudo que fazem.
• Desenvolvem o conceito de Deus e Jesus como pessoas reais.
 Identificam os personagens da Bíblia como reais.

• Consideram a oração importante.
• Orgulham-se da capacidade de ler em sua própria Bíblia.
• Começam a compreender a "Adoração".
• Podem envolver-se em projetos simples, como "ajudar".
• 40% passam da aprendizagem bíblica tátil-cinestésica para a leitura visual (palavras e imagens).

V – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 7 E 8 ANOS
Conceito-chave: Aprender a amar.

Tais crianças:
• Estão esclarecidas quantos aos conceitos de certo e errado.
• Desejam ser boas.
• Começam a perceber a influência da consciência e os erros dos outros.
• São capazes de sentir vergonha, podem admitir seus erros, mas frequentemente transferem a culpa de seus erros para "outros".
• Têm seu interesse por Deus aumentado gradativamente.
• Estão amadurecendo os conceitos acerca da morte e da ressurreição de Jesus.
• São capazes de estudar a Bíblia sozinhos.
• Usam de modo coerente o conteúdo das Escrituras e o que ouvem na Igreja.
• Já possuem um desenvolvimento significativo na área do pensamente simbólico.
• Estão ampliando sua visão de mundo.

VI – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 9 A 11 ANOS
Conceito-chave: Justiça
Relacionamentos significantes: Grupos de mesmo nível, igreja e modelos de lideranças seculares.

Tais crianças:
• Correspondem ao ensino sobre o caráter de Deus.
• Aprendem mais facilmente a respeito da vida cristã por intermédio de projetos do que por exposição.
• Começam a constatar que devem seguir suas próprias convicções acerca de Jesus.
• Propõe perguntas mais difíceis do que as dos adultos.
• São capazes de compreender o plano da salvação.
• Compreendem o propósito da oração.
• Desenham heróis da Bíblia e da igreja local.
• Possuem uma necessidade de pertencer ao grupo.
• Personalizam sua sexualidade a partir de uma perspectiva cristã.
• Adquirem uma compreensão básica da ética bíblica.
• São capazes de julgar suas póprias ações à luz das atitudes de Jesus.
• Frequentemente fazem confusão entre o certo e o errado.

VII – A FÉ DOS ADOLESCENTES
Conceito-chave: Fidelidade
A maioria das pessoas que consolida sua fé até os 12 anos permanece fiel pelo resto de sua vida.

Conclusão
É inegável que a criança que tem uma fé alicerçada em Cristo terá seu caráter formado dentro dos padrões espirituais e nesse sentido a EBD é em todos os aspectos um centro de influência positiva.

O professor da EBD deve buscar em Deus e na sua palavra a sabedoria necessária para conduzir os pequenos ao principal objetivo da vida cristã, "o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;

Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" (Efésios 4:12,13).

REFERÊNCIAS 

  • BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Versão corrigida.
  • LEFEVER, M.Métodos Criativos de ensino: como ser um professor eficaz.Rio de Janeiro:CPAD, 2003


Fonte: Blog A Arca da Garotada